O Conhecimento dirige a prática, no entanto a prática aumenta o conhecimento (Thomas Fuller)
Compartilhar conhecimento prático está em nossa essência
transformação digital

Transformação digital: Como a COVID-19 acelerou tendências

Transformação Digital é um processo em que as empresas usam a tecnologia e outras estratégias para solucionar problemas tradicionais. Continue lendo para entender mais sobre isso.

A transformação digital não é um conceito do futuro, mas sim do agora, e com a pandemia da COVID-19 esse processo acelerou as tendências.

Por isso, é preciso entender exatamente o que significa essa transformação, qual o seu impacto na sociedade e como aplicá-la nos processos de negócio.

Pensando nisso, elaboramos este artigo para você entender como a pandemia acelerou as tendências e a transformação digital. Continue lendo!

O que essas empresas de tecnologia têm em comum?

Amazon

A Amazon é uma empresa multinacional de tecnologia norte-americana que se concentra no e-commerce, computação em nuvem, streaming e inteligência artificial. 

Ela é uma empresa baseada em dados e possui uma grande quantidade de dados armazenados a partir do monitoramento de todas as atividades, da logística até a relação com o consumidor, e uma enorme capacidade de extrair informações desses dados.

Apesar de já ser disruptiva, em relação ao varejo tradicional, a Amazon já está se preparando para lançar novos produtos que continuam revolucionando o mercado.

Facebook

Facebook é uma mídia social e rede social virtual operada e de propriedade privada da Facebook Inc.

Atualmente, a empresa pretende unificar as plataformas WhatsApp, Instagram e o próprio Facebook, a fim de gerar um conhecimento maior e mais preciso sobre o usuário, unindo tecnologias de inteligência artificial e tendo uma base de dados mais ampla e diversificada, onde será possível saber, mais facilmente, o que os usuários fazem em cada uma das plataformas.

O Facebook foi lançado como uma plataforma de relacionamento, mas foi crescendo e se destacou por oferecer uma hipersegmentação.

Desta forma, é possível analisar tudo o que as pessoas fazem nas plataformas, oferecendo um resultado mais preciso e efetivo nos investimentos em mídia feito pelas empresas anunciantes.

Google

O Google é uma empresa multinacional de serviços online e software, ele hospeda e desenvolve uma série de serviços e produtos baseados na internet e gera lucro principalmente através da publicidade pelo AdWords.

Além disso, se observar as principais empresas de tecnologia na área da saúde, o Google também está no meio, o que significa que todas as empresas estão envolvidas em várias atividades.

Assim como o Facebook, o principal modelo de negócios do Google é a geração de receita a partir dos anunciantes, extração de informações e utilização da hipersegmentação.

iFood

O iFood é uma empresa brasileira fundada em 2011, atuante no ramo de entrega de comida pela internet, sendo líder no setor na América Latina, com presença na Argentina, no México e na Colômbia.

Atualmente, possui mais de 1bi em valor de mercado, com mais de 100 mil restaurantes cadastrados e é considerada uma das startups unicórnios do Brasil

Além disso, o iFood é considerado uma empresa ambidestra, com foco no curto e longo prazo. Veja:

  • gestão dividida por áreas, cada uma com sua meta e indicadores de resultados;
  • em caso de qualquer dificuldade, a área informa e forma-se de imediato uma equipe multidisciplinar para enfrentar o problema;
  • tolerância ao erro;
  • vários projetos pilotos sendo testados simultaneamente;
  • exemplos de produto novo: agrupamento de pedidos, frete econômico, robozinho de entrega em Shopping Iguatemi, hub para facilitar estacionamento do entregador;
  • box em prédios comerciais, para facilitar a dificuldade do entregador encontrar o cliente.

Vamos falar sobre dados…

Mas antes, o que não é um dado? Dado não é petróleo e eletricidade, ou seja:

  • não é rival, não se esgota;
  • regenerativa e ilimitada;
  • relativamente barata para transporte e armazenamento;
  • mais difícil de controlar a propagação;
  • impossível de limpar se derramar;
  • ecológica.

Logo, dado é um ativo e o retorno desse ativo pode ser enorme. Portanto, é um erro acreditar que o principal produto das grandes empresas é a tecnologia, quando, na verdade, a maior vantagem competitiva delas é a quantidade de dados que possui.

Veja algumas maneiras de tornar os dados um ativo:

  • Monetizando: gerar benefícios econômicos a partir de ativos de dados disponíveis;
  • Gerenciando: aplicar princípios e práticas de gerenciamento de ativos;
  • Medindo: avaliar, ajustar e melhorar o desempenho.

No ambiente de negócio atual, dado é um ativo estratégico, que gera benefícios econômicos ao aumentar o desempenho e a eficácia de processos, desenvolver produtos e serviços, oferecer novas e sofisticadas interfaces com consumidores, clientes e usuários.

No futuro da inovação, as organizações serão obrigadas a gerar valor alavancando a vasta quantidade de dados com sofisticadas técnicas de modelagem de inteligência artificial, identificando insights ocultos, impulsionando o desenvolvimento de produtos e a experiência do usuário

Neste caso, o desafio é ser capaz de traduzir os seus principais problemas de negócios em dados solucionáveis e problemas de modelagem para poder definir uma estratégia e ainda garantir que o investimento em ciência de dados esteja alinhado com as principais metas de negócios.

Cinco pré-requisitos para a transformação digital

A maior contribuição de Henry Ford, fundador da empresa Ford, foi possibilitar às pessoas em geral serem capazes de dirigir, e não o mercado de massa

Já o Google transformou os seus usuários em pesquisadores, enquanto o Instagram ofereceu uma série de funcionalidades para transformar os usuários comuns em fotógrafos.

O TikTok, por exemplo, faz qualquer mortal se tornar um videomaker, com recursos para criar, editar e publicar vídeos e, por fim, a Netflix transformou o cliente em assinante.

Isso significa que adotar a Transformação Digital na sua organização pode provocar uma transformação nos próximos anos, não apenas na sua empresa, mas também para os usuários, clientes e a sociedade.

Veja os pré-requisitos para iniciar o processo de transformação digital na sua organização.

  1. talento: habilidade analítica, empreendedor de tecnologia, multidisciplinar;
  2. integração: aos negócios existentes, mas suficientemente separado (capacidade de inovar);
  3. financiamento: recursos exclusivos alocados aos projetos de Transformação Digital;
  4. gerenciamento de pipeline: rastrear iniciativas/projetos piloto, prever tempo de maturação e impactos no ROI;
  5. métricas: flexíveis e exclusivas para avaliar os esforços de transformação em seus estágios iniciais.

A transformação digital não é apenas a adoção de tecnologia, mas também é sobre o uso de novas tecnologias para permitir novas e eficazes estratégias de negócios.

Para gerar valor real, é preciso transformar o negócio repensando as ações, integrando o digital no core do funcionamento da empresa.

Resultados eficientes dependem de mudanças na estrutura organizacional, nos processos e na cultura da empresa.

Primeiros passos para a transformação digital na sua empresa

  • Comece por um projeto piloto. Compartilhe o processo com gerentes e funcionários para introduzir a cultura de dados;
  • Estimule os funcionários a encontrar maneiras de melhorar a sua produtividade, reduzir os custos e expandir as oportunidades de negócios usando dados;
  • Contrate especialistas, faça parcerias ou terceirize pessoas e empresas que entendem acerca do valor estratégico dos dados e que sejam capazes de criar pontes entre a TI e as demais áreas da organização;
  • Crie novas funções com foco em dados, como Chief Data Officer (CDO), Chief Analytics Officer (CAO) ou uma combinação de ambos (CDAO) tornando os dados um ativo estratégico.

Gostou deste artigo? Não deixe de conferir mais sobre este assunto no webinar sobre transformação digital e como a COVID-19 acelerou tendências, tema que parte do nosso Comitê de Presidentes.

shares