O Conhecimento dirige a prática, no entanto a prática aumenta o conhecimento (Thomas Fuller)
Compartilhar conhecimento prático está em nossa essência

Qual é o momento certo para fazer um curso de especialização?

Com a profusão de bolsas e financiamentos estudantis (públicos e privados) concedidos nos últimos 15 anos, quem ainda não tinha um curso de nível superior correu para preencher essa lacuna. Assim, o que se vê hoje é que, especialmente nos grandes centros, boa parte da população ascendeu no quesito escolaridade. Para você ter uma ideia melhor, o aumento no número de novas matrículas no ensino superior foi de 81% entre 2003 e 2012. Impressionante, não acha?

Como em um efeito dominó, a pós-graduação passou a ser então a bola da vez, atualmente exigência indispensável para a maioria das vagas anunciadas em sites de recolocação profissional. Para deixar isso mais claro, é interessante citar um estudo feito pela consultoria Produtive, em 2014, mostrando que, dentre os executivos consultados, 68% já haviam feito uma ou mais especializações. Só 23% pararam na graduação.

E você, qual caminho pretende traçar? Já se formou, entende a importância de um curso de especialização, mas não sabe bem qual o timing mais estratégico para reiniciar os estudos? Pois os tópicos abaixo esclarecerão essas dúvidas. Então fique de olho!

O MITO DO PRAZO-LIMITE

Em primeiro lugar, é importante ter em mente que ter um timing correto não significa que quem já está no mercado há já alguns anos (ou mesmo se formou há décadas) não terá qualquer vantagem ao melhorar suas qualificações acadêmicas. O que você deve levar em conta, aqui, é o momento em que o início de um curso de pós-graduação poderá render melhores frutos em sua carreira.

OS CICLOS DE AMADURECIMENTO

Definitivamente não é uma ciência exata descobrir qual o momento exato para fazer uma pós-graduação e colher dela o máximo de benefícios. É possível, entretanto, traçar um parâmetro genérico sobre o tempo de início de cada curso, relacionando-o com os ciclos de amadurecimento do profissional inserido no mercado. Ficou confuso? Então vamos deixar isso mais claro.

Curso de especialização

Até cerca de 5 anos após a graduação, o profissional ainda está engatinhando no mercado, buscando se consolidar em sua área, adquirir experiência profissional e ser respeitado no setor. Nesse período, fazer um curso de especialização é uma forma excelente de acelerar o processo de amadurecimento na carreira. Afinal, a formação é voltada para a vivência no ambiente de negócios.

Em um curso como esse, de duração média de 18 meses, o recém-formado terá oportunidade de ampliar seu networking qualificado, já que muitos colegas estão inseridos em grandes empresas e muitos professores são executivos de renome, além de desenvolver habilidades como liderança, tomada de decisões e capacidade de solução de problemas práticos do mundo empresarial.

Um curso de especialização em Gestão de Negócios, por exemplo, detalhará temas ligados ao universo business que foram abordados apenas de forma superficial em um curso de Administração. Simular o ambiente empresarial e estimular o empreendedorismo, a capacidade de falar em público de forma persuasiva e a inovação, além da imersão em questões mais voltadas ao gerenciamento corporativo serão preocupações constantes. O objetivo é preparar o estudante para que ele esteja, de fato, pronto para lidar com o dia a dia do imprevisível mundo dos negócios.

Mestrado profissional (MPA)

Do 6º ao 10º ano após a conclusão de um curso de especialização, chega a hora de pensar em algo mais robusto. É a vez do mestrado profissional, uma pós-graduação stricto sensu criada há poucos anos e com duração média de 24 meses, que concilia o embasamento científico com a abordagem prática dos cursos lato sensu. A profundidade desse curso é tamanha que a recomendação é só encará-lo depois que o profissional já possui alguma vivência no mercado.

Um Mestrado Profissional em Administração (MPA), por exemplo, é um curso completo, que oferece ao profissional uma visão sistêmica de gestão e tem como principal alvo formar executivos de postos relevantes na direção das empresas. O foco se volta ao desenvolvimento de líderes estratégicos, capazes de inovar e tomar decisões de cúpula, mas sem deixar de lado o know-how acadêmico para subsidiar sua atuação no mundo dos negócios.

Mestrado acadêmico

Esse é o primeiro passo para quem quer lecionar em cursos de nível superior ou trabalhar com pesquisas em uma universidade. Diferentemente do mestrado profissional, o acadêmico pode ser iniciado logo após o término da graduação.

Os programas de mestrado acadêmico têm duração média de 24 a 36 meses e são bastante intensos, o que costuma fazer com que muitos estudantes se dediquem apenas aos estudos durante esse período. É possível pleitear uma bolsa junto a instituições de fomento à pesquisa, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atualmente, o valor desse auxílio gira em torno de 1.500 reais.

Master of Business Administration (MBA)

Mais conhecido simplesmente como MBA, o Master of Business Administration é um curso voltado para profissionais experientes no mercado, que desejam atualizar-se às constantes mudanças no dinâmico mundo dos negócios. Diferentemente de um Mestrado Profissional, entretanto, trata-se de uma pós-graduação lato sensu, com duração média de 18 meses.

O MBA é um grau acadêmico cujo programa envolve uma formação extremamente prática e abrangente, centralizada no ensino dos aspectos da gestão de uma empresa. O ideal é cursar uma especialização para só então partir para o MBA, complementando o conhecimento.

A ESCOLHA DA INSTITUIÇÃO

Optar por uma escola de negócios de excelência garante maior credibilidade a seu currículo, muito mais conhecimento agregado, desenvolvimento pleno de suas competências, além de contato com executivos de multinacionais e empresas de vulto no Brasil — que poderão ser seus professores!

Essas características explicam a diferença de amplitude profissional e de sucesso na carreira entre os profissionais que optaram no passado por uma instituição de prestígio em educação executiva e os demais, que decidiram apenas ter um certificado, sem se importar com a qualidade de sua formação.

Sabia que, em processos seletivos, grande parte dos profissionais de RH dá preferência a candidatos que já fizeram algum tipo de pós-graduação? Por isso, quem almeja alçar voos mais audaciosos em sua carreira não pode nem pensar em negligenciar a própria reciclagem e o aprofundamento de seus conhecimentos por meio de um curso de pós-graduação. Você não quer ser visto pelo mercado como um profissional acomodado ou de pouca ambição, certo?

Fonte : http://blogespecializacao.fdc.org.br/qual-e-o-momento-certo-para-fazer-um-curso-de-especializacao

Por Fundação Dom Cabral

A Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira com padrão e atuação internacionais de desenvolvimento e capacitação de executivos, empresários e gestores públicos.

shares